ABCS reúne Grupo de Trabalho do setor produtivo para debater aplicabilidade da IN14

ABCS reúne Grupo de Trabalho do setor produtivo para debater aplicabilidade da IN14

O GT pretende adequar as exigências da norma para fabricação de ração com medicamento ao cotidiano dos produtores rurais

A Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) realizou, nesta semana, em Brasília (DF), a primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) para debater a aplicabilidade da Instrução Normativa 14 de 2016, que define normas para as fábricas de ração animal que produzem o alimento com medicamentos.

Representantes do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) participaram da reunião juntamente com entidades representativas de diversos elos do setor produtivo como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a Associação de Médicos Veterinários Especialistas em Suínos (Abraves), o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações) e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Com o consentimento geral dos participantes, o GT não tem a pretensão de solicitar a prorrogação do prazo, mas sim adequar algumas exigências que são consideradas injustificáveis no cotidiano dos produtores rurais. Um dos consultores técnicos da ABCS, Stefan Rohr explica que o intuito do grupo é apresentar ao MAPA um único parecer técnico com informações concisas das objeções para se adequar a norma. “Estamos envolvendo todo o setor, convidamos os diversos elos da cadeia para participar do debate, nosso objetivo é apresentar um material completo e padronizado com os pleitos e assim tornar aplicável as exigências da IN”.

O consultor técnico da ABCS e presidente da Comissão Nacional de Aves e Suínos da CNA, Iuri Machado, esclareceu que as informações que serão entregues à Pasta servirão para relatar algumas dificuldades do dia a dia do produtor, no momento de cumprir a Instrução. “Queremos que IN seja praticável pelos produtores, sabemos da importância de otimizar o uso de antimicrobianos na carne suína produzida no Brasil e por isso estamos debatendo, com diversos representantes da cadeia, a melhor forma para que o produtor consiga cumprir a Instrução – sem que seja onerado ou que tenha problemas com o fluxo de trabalho da sua fábrica”.

A perspectiva do GT é entregar dentro de 30 dias à área técnica do MAPA o relatório para avaliação e a possível adequação da norma pelo Ministério. A coordenadora de Fiscalização de Produtos para Alimentação Animal do MAPA, Fernanda Tucci, frisou que o MAPA irá analisar os dados apresentados cautelosamente e destacou a necessidade da conscientização para o uso prudente dos antimicrobianos e da compreensão a respeito da resistência antimicrobiana em toda a cadeia produtiva, pois o tema está sendo tratado no contexto mundial.

A próxima reunião do Grupo de Trabalho está marcada para a primeira quinzena do mês de julho, em Brasília (DF).

Fonte: ABCS.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas