Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura

O Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS) tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da suinocultura brasileira, trabalhando para uma maior estabilidade econômica da atividade e os conseqüentes benefícios sociais para os produtores e trabalhadores da cadeia produtiva, através da ampliação do mercado doméstico da carne suína. 

Os objetivos específicos são a modernização da comercialização da carne suína e a generalização de boas práticas de produção, da granja à mesa, que contribuam para consolidar a carne suína como um produto saudável e nutritivo, produzido de forma tecnicamente correta, socialmente justa e ambientalmente responsável.

O objetivo síntese é incrementar o consumo doméstico per capita em dois quilos no Brasil até o final do ano de 2012.

Metas físicas:

1- Implantar modelos de produção tecnicamente adequados, economicamente eficientes e sanitariamente seguros para a suinocultura “não industrial”
2- Desenvolver modelos padronizados de plantas para instalação e adequação de frigoríficos;
3- Elaborar formatos modernos de apresentação do produto em seus variados cortes;
4- Ampliar as alternativas de preparação e consumo desse alimento saudável e nutritivo;
5- Assegurar os padrões de qualidade e garantia para a carne suína comercializada in natura;
6- Desenvolver instrumentos contemporâneos de divulgação e marketing da carne suína;
7- Oferecer ao consumidor informação qualificada sobre nas características nutricionais e saudabilidade da carne suína;
8- Disponibilizar a carne suína in natura em qualidade, quantidade, formato e em termos competitivos com as demais
proteínas animais, em todos os níveis de varejo.

Ações na cadeia produtiva:

Comercialização: Elo  fundamental  da  cadeia,  através  do  sucesso  e  eficiência  da  implantação  de  suas  ações,  os  demais elementos terão maior adesão e comprometimento com o projeto. As ações serão estruturadas nos seus componentes básicos subdividido em   Açougues,   Supermercados,   Bares   e   Restaurantes,   Indústria   de   Refeições   Coletivas   e   Clientes Institucionais/Merenda Escolar.

Indústria: A grande  indústria  de  abate  e  processamento  de  suínos  está  direcionada,  principalmente,  para  a  produção  de embutidos.  O abastecimento do varejo é feito, em larga escala, por  MPEs  de  ação  local  e  regional.  E este segmento mantém padrões superados de processamento e oferta de carne suína. O objetivo de aumentar o consumo de carne suína em resposta às exigências do consumidor contemporâneo requer amplas adequações tecnológicas nessas indústrias. Será reunido de forma consistente, a tecnologia disponível de higienização, resfriamento e corte de carcaças bem como as referentes à embalagem e apresentação dos produtos e torná-la disponível às indústrias, sobretudo as MPEs. Isto se fará pela produção de materiais de divulgação, a capacitação de multiplicadores da tecnologia e o treinamento das empresas e funcionários em geral. Essencial será a produção de um sistema nacional de classificação de carcaças a partir de preditores (indicadores) simples, mas efetivos.  Isto requer pesquisa específica que a ABCS, juntamente com o ITAL e o CNPSA/EMBRAPA.

Produção: Contribuir para a melhoria das condições de criação é um dos objetivos centrais do projeto. A produção de suínos no Brasil é, sem dúvida, atividade bastante tecnificada, o que não implica em que não haja progressos a realizar. Principalmente, é necessário homogeneizar as práticas de produção, integrando-as com o correto respeito ao meio-ambiente e as novas referências internacionais de conforto animal. Essas atividades serão adequadamente realizadas com o uso de um Manual Brasileiro de Boas Práticas Agropecuárias para a Produção de Suínos, a ser produzido conjuntamente pela cadeia produtiva, a partir de trabalhos já realizados pelo CNPSA e presentemente em estudos pelo Conselho Técnico-Consultivo da ABCS.

Ações também serão realizadas com o intuito de promover o desenvolvimento e levar conhecimento essencial aos produtores de nível tecnológico mais baixo, nos Estados do Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Distrito Federal, aonde serão implantadas as ações do Projeto. 

Geração de informações e inteligência competitiva: Uma das vertentes do projeto será gerar uma base de conhecimento sobre o setor, que possibilitará minimizar suas deficiências em termos de informações mercadológicas e desenvolvimento de novas tecnologias, possibilitando maior capacidade de organização e negociação setorial, através de importante subsídio às decisões estratégicas.

Serão também  realizadas  atividades  de  pesquisa,  desenvolvimento  e  inovação  de  produtos  e  processos  e  sistematização  de técnicas e conhecimentos nas áreas de abate, processamento, embalagem, refrigeração, logística e varejo para micro, pequenas e médias empresas da cadeia da carne suína que ensejem o aumento de qualidade e do valor agregado dos produtos. A geração desse conjunto de informações e conhecimentos possibilitará a suinocultura maior competitividade e novo patamar de eficiência.

Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Quadra 01 – Ed. Barão do Rio Branco, sala 118 | CEP: 70.610-410 | Brasília - DF
Telefone: (61) 3030-3200
Design: Conectando Pessoas